sábado, 5 de maio de 2012

ESTÃO ENFIANDO ÀS MÃOS NA POUPANÇA DO BRASILEIRO

Acabaram de mexer no cálculo dos juros pagos pelas cadernetas de poupança, agora, receberão 70% do valor pago até o dia 03/05.

Portanto 90% dos "investidores" serão prejudicados, a maioria trabalhadores assalariados, que tentam manter um dinheiro guardado para fazer frente ao valor de aposentadoria futura que o próprio governo vai mete as mãos também.

Em outras épocas teríamos as ruas e avenidas infestadas pelos defensores da esquerda, representantes da classe trabalhadora, sindicalistas, desta vez isto não acontecerá, pois, todos eles fazem parte deste governo que aí está. Quanto à oposição não podemos contar, afinal, não existe.

Cabe ao povo aceitar passivamente que através de uma MP o governo venha, mais uma vez, enfiar as mãos em nossos bolsos, com a desculpa de aumentar os investimentos no setor produtivo. Como pode pensar desta forma com os banqueiros apresentando recordes de lucros a cada trimestre. Ou me apresente alguém que já entrou em algum banco e comprou algo que estivesse precisando em casa.

As grandes lojas de varejo, não ficam para trás, todas elas já montaram suas estruturas financeiras e fizeram acordos com as várias bandeiras bancárias, vendem seus produtos mais populares em até 30 prestações, mas, para isso o consumidor tem de preencher uma extensa ficha com todos os seus dados, principalmente, os financeiros. Para quê? Simples. Esta forma venda, nada mais é, do que uma forma de aprovar o seu cadastro e lhe enviar um cartão de crédito. Cartão este que lhe custará muito caro se não conseguir controlá-lo.

Vejam que até o comércio descobriu que vale mais ter um cliente cadastrado e mantê-lo encabrestado, cobrando juros escorchantes, do que, simplesmente, lhes vender algo com preços honestos e sem segundas intenções. Tenho certeza de que seremos nós os prejudicados, me lembra uma música que dizia: "Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém...".

Mais uma vez iremos pagar uma conta que não fizemos e nem crédito tínhamos para tanto.