sábado, 12 de maio de 2012

RESPONSABILIZAR O PODER PÚBLICO QUANDO COMETER O CRIME DE PREVARICAÇÃO

O Ministério Público de Goiás (MPE) vai abrir inquérito civil para investigar a queda do helicóptero Koala AW 119KII (prefixo PP-CGO) em Piranhas por suspeita de irregularidades no contrato de manutenção da aeronave mantida entrea a Fênix de Manutenção de Aeronaves Ltda com o governo de Goiás.
Como diria o cantor Silvio Brito - "Tem que pagar prá nascer. Tem que pagar prá viver. Tem que pagar prá morrer"-. Pois bem , pagamos todos tipo de impostos e taxas neste país, ao todo são mais de 70. Porém, quando acontece um acidente quem tem de investigar é o Ministério Público.

Deveria o MP investigar quem de fato deveria ter fiscalizado e não o fez, responsabilizando o agente coator com a perda dos direitos intrínsecos a sua atividade. Se houve algum acidente, o mesmo aconteceu porque alguém não fiscalizou e muito menos exigiu os documentos de praxe e necessários, corretamente.

Não é possível pagarmos duas vezes pelo mesmo trabalho, gerando, ainda mais custos aos nossos bolsos, já tão aviltado por tantos impostos e taxas. O agente coator, além, da penalidade profissional, deveria arcar com o prejuízo financeiro oriundo do erro cometido, assim como, responder processualmente por prevaricação e seus chefes, da mesma forma, por condescendência criminosa.

O Brasil possuí leis capazes de satisfazer todo e qualquer crime cometido, porém, nada acontece. Tenho certeza que a lei sendo aplicada, na sua plenitude de acordo com as responsabilidades de cada um, fatos como este jamais aconteceriam com a frequência que ocorrem.