quarta-feira, 23 de maio de 2012

Uma CPI Sem Comando

Esta CPI do Cachoeira tem tudo para não dar em nada. O presidente da dita cuja paga uma estudante - Maria Eduarda - e quem faz o serviço é o seu pai - jornalista Adelson Barbosa - que tem a responsabilidade de atuar junto aos principais jornais para que publiquem notícias favoráveis ao senador.

Neste ponto ocorrem vários crimes. 1o.) O pai da moça pratica acobertamento de leigo, jornalismo é atividade restrita. 2o.) A moça assina um documento para receber uma quantia em dinheiro que não lhe é devida - Falsidade Ideológica e Concussão e, porque não, Estelionato e Apropriação Indébita. 3o.) Seu pai recebe uma quantia, repassada pela sua filha, sem declarar ao imposto de renda - Sonegação de Receitas e, consequentemente, Sonegação de Impostos. O senador em questão tem um funcionário que nunca trabalhou efetivamente em seu gabinete ou qualquer outro lugar que se possa chamar de "base eleitoral", sabe que quem presta o serviços é o pai e mesmo assim continua pagando – pratica, portanto, Prevaricação.

Será que não daria para cassar o mandato do infeliz e tirá-lo desta comissão, pois, não possui moral para seguir adiante. Triste realidade brasileira.