segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A Hora e a Vez das Laranjas

Saiu hoje no Correio Popular de Campinas, na coluna Xeque-Mate da Bruna Mozer. Acho que precisamos arranjar algo para estes parlamentares fazer na Câmara. Acho que deveríamos subir em passeata para apoiar esta iniciativa tão importante que irá revolucionar o atendimento nos bares, restaurantes e, porque não, dos botecos campineiros. Estão gozando com a nossa cara...
 
O menor problema que existem nestes locais são as laranjas, peçam para entra nas dependências internas destes estabelecimentos e verão o que é sujeira, existem casos que a parte de trás do Terminal Central é muito mais limpa do que estes criadouros de ratos, ratazanas e baratas. Finalmente, não temos estrutura fiscal para levar adiante esta importante empreitada do nobre vereador, ou alguém se habilita em perder tempo para formalizar tal queixa junto aos órgãos públicos, os caras não conseguem fiscalizar nem os ambulantes que proliferam nas ruas de Campinas, que mantém seus carrinhos ...em lugares que conseguem atrapalhar todo mundo. Mas isto ninguém olha e ninguém vê....

A Câmara vota hoje um projeto de lei um tanto curioso, que obriga os estabelecimentos comerciais de Campinas a lavarem as laranjas, aquelas que são depositadas em máquinas automáticas para produção de suco. O autor do projeto, vereador Professor Alberto (sem partido), argumenta que a sua ideia surgiu ao ver as frutas, usadas nesse tipo de equipamento, expostas à poeira e à poluição o que, segundo ele, não é nada saudável.

A proposta, se aprovada, impacta de forma direta no bolso dos comerciantes.
Caso as laranjas não sejam lavadas, o proprietário será multado. O parlamentar havia proposto valor de R$ 1,2 mil, mas decidiu deixar a critério da Prefeitura, que também será responsável pela fiscalização das frutas. Professor Alberto até concorda que o governo não possui mão de obra suficiente para isso. Mas diz que a lei dará o direito do cidadão de, insatisfeito, denunciar.